quarta-feira, 28 de março de 2012

Capítulo 3



Capítulo 3

Begging you, might somehow turn the tides...
Se implorar a você pudesse, de algum modo, mudar a maré...


Depois que Miley saiu da casa Joe se sentou em sua poltrona de frente pra TV desligada. Perdera toda a coragem de sair que vinha acumulando durante a manhã, não estava mais com ânimo pra encontrar com Demi. Precisava estar preparado pra isso. E mesmo que quisesse não se sentia bem pra sair... Seu coração reagira mal ao estresse e a emoção da conversa com Miley, batia rápido demais e estava o sufocando aos poucos. Então tomou um calmante que Charlie havia lhe receitado pra quando se sentisse mal. Sabia que era inútil se encher de remédios já que morreria de qualquer jeito, mais não agüentava aquela sensação de dor e sufoco em seu peito... Às vezes chegava a ser insuportável e se pegava desejando morrer de uma vez, ainda não sabia pra que prolongar tudo aquilo. Mais talvez pudesse fazer alguma coisa que prestasse com o que sobrou de sua vida. Talvez ainda estivesse vivo por um único motivo... Pedir o perdão de Demi. Adormeceu no sofá com esses pensamentos... Amanhã era um novo dia.

Joe só acordou novamente no dia seguinte... Ainda estava jogado no sofá da sala, e seu corpo doía por ter dormido de mau jeito. Mais estava bem... A sensação ruim em seu coração tinha passado. Tomou um rápido banho e vestiu uma roupa qualquer, não perderia mais tanto tempo com isso. Comeu a primeira coisa que achou na geladeira, pegou as chaves e saiu. Tinha tomado sua decisão... Não ligaria, apenas bateria na porta e pediria um minuto de atenção... Se ela o mandasse embora, pelo menos teria tentado.
Quando finalmente chegou ao endereço que Miley lhe dera, ainda se demorou parado na porta por alguns minutos, tentando criar coragem pra tocar a campainha. Era simples... Era só apertar o maldito botão... Então porque parecia tão difícil? Respirou fundo mais uma vez e tocou a campainha.
Um minuto... Dois... E a porta finalmente abriu.

_Desculpa a demora eu estava... _ a frase ficou entalada na garganta quando Demi viu quem era.
_Oi_ Joe sorriu de lado.
_O que você faz aqui? Como conseguiu meu endereço?_ perguntou espantada.
_Érr...
_Miley_ ela revirou os olhos_ ela me paga.
_Desculpa a minha inconveniência Demi, é que... Eu queria conversar com você.
_Eu... Não acho que seja uma boa ideia, nem uma boa hora pra isso_ ela disse nervosa.
_Por favor, Demi_ ele implorou_ ao menos cinco minutos.

Ela o encarou aflita... Joe não devia estar ali, ela não deveria deixá-lo entrar em sua casa, não depois de tudo que ele fizera, não na atual situação que ela se encontrava. Então porque não conseguiu dizer não? Porque seu coração batia desesperadamente ao olhar pra ele?

_Droga Joe_ resmungou_ cinco minutos.
_Obrigada_ ele sorriu.
_Entra_ deu espaço pra que ele passasse.

Joe sorriu sozinho enquanto entrava no apartamento, ao menos teria a chance de falar com ela. Observou em silencio o apartamento... Bem arrumado e decorado, era realmente a cara dela, perfeito. Ele se sentou no sofá, Demi se sentou ao lado e ficaram assim, num silencio incomodo e constrangedor.

_Apartamento legal_ ele disse um tempo depois, quebrando o silencio.
_Obrigada_ sorriu de lado_ aluguei ele pra passar esses dias... É a minha cara.
_É... Realmente_ ele concordou.
Silencio... Nenhum dos dois tinha coragem de olhar pro rosto um do outro.
_Então... Esta gostando rever a cidade?_ Joe perguntou.
_É... Eu senti muita falta daqui_ Demi garantiu, ele não nem fazia ideia do quanto.
_Todos sentiram sua falta por aqui_ ele disse sem jeito_ Miley, minha mãe... Ela ia adorar ver você.
_Eu também gostaria muito de ver ela, mais não perdi contato... Ligava pra ela todos os dias de Paris, ela... É como uma segunda mãe pra mim_ sorriu.

Demi sofrera muito quando foi embora... Mais contou com a ajuda dos amigos mesmo que a distancia e Denise fora como sua mãe, lhe dando conselhos... Dizendo-lhe que seguisse em frente. Não sabia se teria suportado essa mudança sem a ajuda dela.

_E você Joe... Como esta?_ ela perguntou.

Ele ficou em silencio, olhando fixamente pra ela... Não queria lhe contar que ia morrer, que estava doente, pois não queria que ela sentisse pena, embora o mais provável é que ela nem ligasse... Não depois do que ele fizera. Mais também não queria mentir... Dizer que estava bem quando não estava.

_Estou levando_ disse finalmente.
_O que andou fazendo esse dois anos?
_Nada de muito extraordinário_ garantiu_ Só... Trabalhando no escritório.
_Ainda trabalha lá?_ ergueu a sobrancelha.
_Sim_ assentiu.
_Você sempre dizia que seria um advogado... Estava indo tão bem, o que houve?
_As coisas... Mudaram depois que você foi embora_ ele disse, lembrando-se do quanto sofrera_ eu... Acabei deixando isso de lado.
_Ah_ ela olhou pro lado desconfortável_ e... Esta namorando?

Não sabia por que tinha feito àquela pergunta... Isso não era da sua conta, mais mesmo sentia que precisava saber. Joe também ficou surpreso com a pergunta, mais ficou um tanto feliz por saber que ela se interessava.

_Não, estou sozinho_ ele garantiu.
_Joe Jonas sozinho?_ ela disse tentando esconder a satisfação pela resposta, aquilo não era de sua conta.
_Eu estou sozinho sim... Não namorei ninguém depois que você foi embora. Você foi minha ultima namorada.
_Quer dizer que... Todo esse tempo...
_Eu estive com outras mulheres_ ele explicou_ nada sério.
_Nenhuma delas era boa o bastante?_ perguntou.
_Nenhuma delas era você_ disse sem pensar.

Demi ergueu o rosto pra olhá-lo, sentindo seu coração se acelerar loucamente... Já haviam se passado dois anos, ele não tinha mais que causar tais reações nela... Já tinha deixado essa conversa ir longe demais.

_O que você quer aqui Joe? Porque veio me ver?_ perguntou sem mais rodeios.
_Eu queria conversar.
_Não temos o que conversar... Você sabe disso_ falou séria.
_Queria falar sobre nós dois_ ele pediu.
_Não existe isso de nós dois_ falou irritada_ Você destruiu nós dois a um bom tempo.

Ele podia sentir... Sentir que seria agora o momento que devia ter acontecido há dois anos atrás... O momento em que ele explicava a ela o que tinha acontecido, dizia o que tinha se arrependido... O momento que ela lhe diria o quanto o odiava por ser um idiota. Ia doer... Mais ele precisava fazer isso.

_Você foi embora sem falar comigo_ ele disse_ não me deixou explicar.
_Porque não havia o que explicar_ disse séria_ sai da minha casa.
_Demi, por favor me escuta_ implorou_ Só quero conversar com você... Não quero briga.
_Você vem a minha casa depois daquilo tudo e me diz que não quer brigar?_ ela riu_ por favor.
_Você tem todo o direito de estar com raiva...
_Claro que tenho.
_Mais vai me ouvir_ ele disse com convicção_ eu vim até aqui pra falar e você vai ouvir.

Demi o encarou incrédula... Que diretos ele pensava que tinha agora? Não tinha o direito de lhe exigir nada, mais sabia que não podia o obrigar a ir embora... E teria que encarar agora a verdade da qual ela fugira a dois anos. Não tinha mais escolha.


Obrigada amores, prometo que ainda vão ter muitas emoções, espero que não tenham problemas no coração, e comentem por favor (:

2 comentários:

  1. esta muito perfeito haaa to amando ... aki @hevecuty lendo todos os dias sempre hehe

    ResponderExcluir