domingo, 15 de julho de 2012

Capítulo 10


Capítulo 10 

 Insuportável


Cinco dias, foi o tempo que passou desde que vi seus estranhamente lindos e sinistros olhos me encarando em agonia. Insuportavelmente parecia muito mais, uma eternidade. Eu passei o tempo tentando me convencer a tirá-la de minha cabeça, mais desisti no segundo dia quando percebi que era inútil. Então me foquei em conseguir uma mentira convincente para o meu abatimento repentino. 
“É só uma crise existencial” _ eu repeti inúmeras vezes pra toda minha família, eles pararam de perguntar no terceiro dia, aparentemente eu só não convenci meu irmão Kevin, ele continuou a insistir depois que quebrei minha promessa de lhe contar o que aconteceu. Suas tentativas de persuasão não ajudaram as minhas próprias de esquecer o ocorrido. Ele estava me tirando do sério.

_Para de me encher Kevin, eu já disse que não é nada, só uma...
_Crise existencial_ ele revirou os olhos_ já ouvi isso e volto a repetir que não acredito, você não ia ficar tão pra baixo se não houvesse motivo.
Infelizmente pra mim ele me conhecia melhor que qualquer um_ Porque você não me deixa sofrer em paz?
_Porque me preocupo com você_ ele disse com seu tom de voz deixando claro que era óbvio.
_Eu to cansado de você, e da chata da Vanessa me perturbando, garota chata_ eu reclamei.
_Ela gosta de você_ ele sorriu_ é disso que você precisa, uma namorada, dar uns pegas em alguém.

Suas palavras só fizeram me irritar mais, eu senti o sangue subindo a cabeça e perdi o controle... Levantei-me da cadeira num salto, olhando pra ele furiosamente.


_Me deixa em paz, eu não agüento mais ouvir sua voz irritante, você é um porre_ eu gritei exaltado.

Todos em volta olharam pra mim com olhos arregalados, ninguém nunca me vira sair do sério, depois do Kevin eu era o mais bem humorado da turma. Eu encarei todos os olhos que me fitavam incrédulos e sai dali, dando as costas sem me importar com mais nada. Ela me deixou louco.

Narrado pela Demi

Eu queria tirá-lo da minha cabeça mais eu parecia simplesmente não ser capaz de parar de pensar em seu rosto perfeito... Sua expressão enquanto ele confessava que eu não saia de sua cabeça... Sua pele quente tocando a minha... Seu cheiro tentador... Quanto tempo mais eu seria capaz de fingir que nada acontecia? Eu sabia a resposta... Não muito tempo... Eu era fraca... Eu era um monstro. Os últimos dias passaram excessivamente insuportáveis enquanto eu me culpava pela pequena obsessão por um lobisomem. O Nick tentava me animar, mesmo sem saber o motivo da minha tristeza, e a Selena apenas estava ali me apoiando... Sem dar nenhum palpite.

_Demi, você precisa se animar_ o Nick disse.
_Eu estou bem_ menti facilmente.
_Quando foi a ultima vez que você saiu pra caçar?_ a Selena perguntou de repente.
_Acho que já vai fazer... Um mês.
_Um mês?_ os dois disseram em coro.
_É, mais a última vez que bebi sangue foi aquele dia, que matei aquele cara no beco.
_Demi, você não pode ficar tanto tempo sem se alimentar... É por isso que anda tão de mal humor_ o Nick reprovou, achando que esse era motivo por traz de meu abatimento.
_Eu sei, é que... Com os últimos acontecimento acabei esquecendo, deixando de lado.
_Então desmancha essa cara feia e vai caçar, antes que surte de vez_ ele falou.


Eu fiz o que ele mandou sem protestar, realmente ficar tanto tempo sem me alimentar não estava me ajudando a raciocinar... Talvez eu me sentisse melhor quando a sede se aquietasse. Corri pela selva, pro lugar onde eu costumava caçar, o mais longe possível da civilização, eu parei antes de me entregar aos meus instintos e enrijeci quando senti um cheiro desconfortavelmente familiar. Andei na direção do cheiro, ele estava sentado em uma pedra, olhando a floresta sem ver nada, de costas pra mim... Eu não disse nada, só observei.

_Vai ficar ai olhando ou vai dizer alguma coisa?_ sua voz baixa me despertou de meus pensamentos.

Mas eu não respondi, ele se levantou devagar e se virou pra me olhar, sua expressão era tão acabada como a minha. Ele estava triste como eu.

_Achei que não fosse mais te ver_ ele falou quando o silencio permaneceu no ar.
_Seria melhor assim, mais alguém lá em cima não quer que isso aconteça_ eu disse.
_Fico feliz_ ele disse.
_Não fique.
_Eu não tive um minuto de paz desde que agente se viu a ultima vez.
_Eu também não, se me deixar louca era o que você queria então conseguiu.
_Não era essa minha intenção, eu só queria que você soubesse como me sinto_ ele foi andando mais pra perto de mim com uma lentidão exagerada.
_Você não deveria se sentir assim, eu... Não deveria me sentir assim... É errado.
_É errado por quê?
_Por que... Nós somos diferentes... 
_Isso não é desculpa, não me importa que você não seja como eu, pelo contrario, é isso que mais me encanta em você_ ele deu um leve sorriso.
_Se você soubesse como me sinto não diria isso.
_E como você se sente?
_Você não faz idéia da vontade que me consome quando te vejo, da vontade de te matar e... _ eu parei, não podia sequer pensar naquilo que doía.
_Você não vai me machucar_ ele garantiu, estava apenas alguns centímetros de mim.
_Como você tem tanta certeza?


Ele chegou ainda mais perto, levantou a mão devagar e pousou em meu rosto, o seu toque quente me fez estremecer. O que estava acontecendo comigo?

_Eu simplesmente sei_ ele disse.
_Eu não quero te machucar, não quero me... Machucar, eu tenho medo de...
_Shh... _ ele colocou o dedo levemente em meus lábios antes que dissesse mais alguma coisa_ não vai acontecer nada, você é boa em tudo que faz, porque nesse caso seria diferente?
_Eu tenho força de vontade e um ótimo incentivo mais não sou de ferro e se alguém descobrir isso...
_Eu não me importo com o que os outros vão pensar, eu só quero...

Ele não terminou de falar, apenas se aproximou e encostou delicadamente seus lábios nos meus. Suas mãos macias envolveram minha cintura, puxando meu corpo pra perto, colando o meu e o dele. Minhas mãos se levantaram involuntariamente, indo pros seus cabelos. Eu senti o fogo dentro de mim queimar ainda mais forte, a sede aumentando aos poucos. O beijo foi ficando mais urgente, mais desesperado, e suas mãos me apertaram mais, com mais vontade, mais desejo. Não deveria ser tão bom assim, eu não deveria gostar mais a sensação de seu beijo acabou com minhas preocupações, e também com todos meus sentidos, eu não sabia mais o que estava fazendo... Apenas fazia.


Narrado pelo Joe

Sentir os seus lábios delicados e macios tocando os meus, me causou uma sensação inexplicável, era melhor do que eu pensava. Nunca imaginei que algum dia poderia me sentir assim, feliz, completo. Eu poderia ficar ali com ela pra sempre e nunca mais solta-la, mais uma dor aguda em meus lábios me impediu de fazer o que eu queria. Eu a soltei automaticamente, a empurrando pra longe, minha mão foi parar na minha boca e quando vi estava sangrando.

_Você me mordeu_ eu disse assustado.

Mas ela não falou nada, só me olhou com seus olhos arregalados, sua expressão vazia aos poucos foi se transformando em raiva, só então eu percebi o perigo. Com um movimento rápido, ela se jogou em cima de mim, me fazendo cair no chão e ela caiu por cima de mim. Eu segurei seus braços, impedindo que seus dentes me alcançassem. 

_O que você ta fazendo? Sou eu, calma_ eu gritei inutilmente_ Demi, por favor?

Mas era inútil, ela parecia estar possuída, eu não queria machucá-la mais se não fizesse nada isso não acabaria bem. Usei toda força que tinha e a empurrei, ela voou longe e bateu em uma árvore com força, fazendo um enorme barulho. A árvore caiu e ela se levantou rapidamente como se nada houvesse ocorrido, rugiu e veio novamente em minha direção. Eu segurei seus braços, mantendo ela longe de mim.

_Demi para com isso_ eu implorei_ por favor? Para. Você consegue, se controle você é forte.

Sua força aos poucos foi diminuindo e a raiva em seus olhos se esvaindo, se transformando em tristeza.

_Eu falei pra você ficar longe de mim_ ela sussurrou, sua voz agoniada.
_Ta tudo bem, não foi nada...
_Não ta_ ela trincou os dentes_ eu sou um monstro.

Ela me olhou mais uma vez e então seus braços sumiram de minhas mãos, ela desapareceu. Eu encarei o vazio a minha frente sem acreditar, em um minuto estava tudo perfeito, no outro tudo acabado. O que eu fiz pra merecer tanta agonia?


Narrado pela Demi

Eu já deveria imaginar que isso aconteceria, como eu pude deixar que chegasse a esse ponto? Eu nem sequer podia ficar perto do homem que amo sem machucá-lo. Eu corri pela floresta, matando os animais que via pela frente, saciando a louca sede que há poucos minutos me fizera atacar o amor da minha vida. Depois fui pra minha casa, entrei a toda velocidade no quarto, bufando de raiva por simplesmente não ser normal... Peguei um vaso que estava em cima da cômoda e taquei ele longe, a Selena entrou no quarto na hora e desviou o rosto da direção do vaso, ele passou por ela e o Nick pegou antes que ele se espatifasse na parede.

_Que isso? Já vi que a idéia da caçada não foi tão boa quanto pensei_ ele disse assustado.
_O que aconteceu?_a Selena perguntou, mas ela já podia imaginar o que era.
_Nada, não houve nada_ eu menti, eles não acreditaram.
_Nick da licença, por favor?_ a Selena pediu.
_Ta bem, mas cuidado com a decoração da casa, a Daiana adora esse jarro_ ele colocou ele com cuidado na cômoda e saiu sem falar mais nada.
_O que houve?_ ela perguntou séria.
_Eu encontrei ele no caminho.
_E?
_E ai, agente tava conversando até que ele... Me beijou.
_O vira-lata te beijou?_ ela arregalou os olhos, mas então sua expressão ficou confusa_ perai, se você gosta dele, era pra estar feliz não?
_Eu estava até que perdi o controle e mordi ele.
_Você mordeu ele? Mas ele se...
_Não, eu mordi ele no lábio, só saiu sangue, nada de mais, mais eu senti o cheiro e o gosto e não consegui me controlar, eu quase matei ele_ eu expliquei agoniada.
_Eu sinto muito amiga eu...

Mas ela parou de falar quando viu minha expressão de desespero, ela acompanhou meu olhar e viu o Nick parado na porta, nos encarando incrédulo... Ele ouviu tudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário