domingo, 15 de julho de 2012

Capítulo 21


Capítulo 21 

 O aniversário


_Hei, alegria_ minha mãe disse_ hoje é seu dia. 
_Não começa mãe, não to com animo. 
_Não seja chata, é uma das poucas oportunidades que temos pra fazer uma comemoração. 
_Como se precisassem de motivo pra fazer uma festa_ revirei os olhos. 
_Você não era tão mal humorada assim. 

Nós estávamos no salão, todos juntos. Ele estava todo enfeitado, todo mundo arrumado pra comemorar o meu aniversário, só podia ser um pesadelo. 

Narrado pelo Joe
Passei a manha inteira entediado, esperando impaciente que as horas passassem. Não almocei direito e todos estranharam, eu era o que comia mais de todos eles. Eram mais ou menos cinco horas da tarde quando meu pai veio me chamar pra que fossemos resolver o assunto com os vampiros. 

_Depois do almoço né?
_É depois do almoço_ ele sorriu. 
_São cinco horas da tarde_ reclamei. 
_Você tem algum compromisso? Não né? Então para de reclamar, sabe muito bem que esse tipo de coisa é melhor fazer a noite. 
_Ta bem, vamos logo.

Chegamos lá rapidamente e eu me encontrava muito ansioso, eu queria tanto vê-la, ver seus lindos olhos, eu queria poder tocá-la. Estranhamente não havia ninguém na porta, sempre tinha um vampiro parado de vigia. Meu pai abriu o portão, não estava trancado, o pátio também estava vazio. Onde estava todo mundo? Andamos até o salão, podia ouvir um barulho vindo de lá. Meu pai abriu a porta devagar e nós entramos.

_Nossa_ ele deixou escapar.

Todos os vampiros estavam reunidos no salão, uma musica alta estava tocando, enquanto eles dançavam e bebiam. Lá na frente, no fundo do salão eu reconheci o Nick, tocando... Bateria. E a Demi que estava cantando ao ritmo da musica. Sua voz conseguia ser ainda mais linda cantando



                                                              I can't take your hand and
Eu não posso pegar sua mão e
Lead you to the water
Levá-lo até a água
I can't make you feel what you don't feel 
Eu não posso fazer você sentir, O que você não quer sentir,
But you know you wanna
Mas você sabe o que quer,
Find out how to crack me
Descobrir a forma de me invadir
Log in try to hack me
Faça o login e venha me hackear.

Underneath the surface
Abaixo da superfície
There's so much you need to know
Existe muito do que você precisa saber
And you might feel like you're drowning
E você pode sentir como se estivesse se afogando
But that's what I need to let go
Mas é disto que eu preciso para deixar você ir

Tell me what you got to break down the walls
Me diga o que você tem para quebrar as paredes
You just might need dynamite
Você só pode precisar de dinamite
Tell me what you got to break down the walls
Me diga o que você tem para quebrar as paredes
Kick senseless my defenses
Insensato derrubando minhas defesas

Tell me what you're gonna do
Me diga o que você vai fazer
I need you to light the fuse
Eu preciso de você para acender o pavio
Tell me what you've got to break down the walls
Me diga o que você tem para quebrar as paredes
You just might need dynamite
Você só pode precisar de dinamite

(Got dynamite)
Tenho dinamite
(Got dynamite)
Tenho dinamite
(Got dynamite)
Tenho dinamite

I can't paint this Picture
Eu não posso pintar esta foto
Just so you can hang it
Só assim você pode pendurá-lo
I can't wait for you to understand
Eu não posso esperar que você entenda
If you just don't get it
Se você simplesmente não compreende
Find out how to crack me
Descobrir a forma de me invadir
Log in try to hack me
Faça o login e venha me hackear

Underneath the surface
Abaixo da superfície
There's so much you need to know 
Existe muito do que você precisa saber
And you might feel like you're drowning
E você pode sentir como se estivesse se afogando
But that's what i need to let go
Mas é disto que eu preciso para deixá-lo ir

Tell me what you've got to break down the walls
Me diga o que você tem para quebrar as paredes
You just might need dynamite
Você só pode precisar de dinamite
Tell me what you've got to break down the walls
Me diga o que você tem para quebrar as paredes
Kick senseless my defenses
Insensato a derrubar minhas defesas

Tell me what you're gonna do
Me diga o que você vai fazer
I need you to light the fuse
Eu preciso de você para acender o pavio
Tell me what you've got to break down the walls
Me diga o que você tem para quebrar as paredes
You just might need dynamite
Você só pode precisar de dinamite


Ela olhou pra frente finalmente, e me viu parado junto com o meu pai, observando seu show. Ela me encarou com aquela expressão triste e incrivelmente linda em seu rosto de anjo. Estava vestida toda de preto com um short curto e colado, uma blusa de alça, usava uma sapatilha, meias grossas que iam até a altura do joelho. Por cima da meia, em uma das pernas tinha uma fita que ia desde o pé até a altura da coxa. Ela também estava com luvas, que iam até acima do cotovelo, e também tinham fitas por cima dando um efeito diferente na sua roupa sexy.

When the walls come crashing down
Quando as paredes estiverem caindo
I hope you're standing right in front of me
Espero que você esteja de pé em frente a mim
When my past lies all around
Quando as mentiras do passado estiverem em volta de mim
Cause all you to need to save me is to intervene
Tudo que você precisa para me salvar é intervir
And make the walls come crashing down
E fazer as paredes virem a cair

Got, got dynamite?Eu tenho dinamite?


A musica parou e então todos aplaudiram, meu pai e eu inclusive. Ela desviou os olhos de mim, e agradeceu, largando o microfone na mão de outra vampira e indo na direção da Selena que esperava no outro lado do salão.

_Paul, Joe? O que fazem aqui?_ Marcus apareceu de repente em nossa frente.
_Olá, desculpa mais você marcou conosco pra resolvermos o assunto do... Trevor.
_Ah, claro, eu havia me esquecido.
_Nós podemos resolver depois_ meu pai ofereceu.
_Não, tudo bem, venham, vamos conversar em um lugar mais reservado.
_Tudo bem.

Ele foi nos guiando pelo salão, passando no meio dos vampiros, até parar onde a Demi e a Selena estavam conversando, ambas com uma taça de vinho na mão. As duas se viraram pra nos encarar.

_Desculpa interromper a festa de vocês_ meu pai disse.
_Tudo bem_ ela disse, evitando me encarar.
_Eu ofereceria uma bebida, mais não temos refrigerante nem vinho_ Marcus disse rindo.
_Tudo bem, não estou com sede_ meu pai riu também.

Foi só ai que me manquei que o que ela tinha na mão não era uma taça de vinho, era sangue.

_Filha, se incomoda se formos conversar lá dentro?
_Não_ ela forçou um sorriso_ isso aqui já tava mesmo me enchendo.
_Ótimo

Nós quatro fomos juntos até o escritório do Marcus, ele se sentou em sua cadeira, mais eu e meu pai preferimos ficar de pé, ela parou no meio de nós dois.

_Desculpem, eu havia me esquecido do nosso compromisso_ Marcus se desculpou.
_Tudo bem, não tem problema.
_É que hoje é um dia especial, é aniversário da Demi_ ele explicou.
_Verdade?
_Sim, está completando...
_Eles não precisam saber minha idade_ ela o interrompeu.
_Qual o problema?_ ele perguntou.
_Eu não quero que os vira-latas saibam minha idade_ ela sorriu cínica e se virou pro meu pai_ Nada pessoal.
_Tudo bem_ ele falou.

Eu a olhei incrédulo, porque ela não me contou que faria aniversário? Tentei disfarçar o máximo que pude minha indignação.

_A propósito_ meu pai continuou_ você canta muito bem.
_Obrigada_ ela sorriu e deu um gole em sua... Bebida.
_Bom, como você não gosta mesmo de comemorar acho que não vai se importar se te mandar resolver um assunto pra mim_ Marcus disse.
_Que assunto?
_Trevor Bennet_ ele deu uma pasta na mão dela_ Trabalha a noite em um posto de gasolina no fim da estrada principal.
_Tudo bem, eu queria mesmo sair daqui_ ela sorriu.
_Tem mais uma coisa, sei que prometi que não te mandaria mais trabalhar com ele_ ele me lançou um olhar cauteloso_ mais é que...
_Tudo bem_ ela o interrompeu_ não tem problema, ele pode vir.
_Você não se importa?_ meu pai perguntou.

Ela bebeu o resto do sangue na taça, colocou em cima da mesa e se virou pra olhá-lo, jogando a pasta na mão dele.

_Eu sou profissional_ disse.

Ela se virou sem me olhar e saiu da sala, eu apenas a segui em silencio. Do de lado de fora a Selena esperava com duas capas na mão.

_Não vou precisar_ a Demi recusou_ vai estragar meu visual.
_Ta bem.
Ela continuou andando.
_Da um tempo pra ela_ a Sel me disse_ ela ainda ta chateada por... Você sabe.
_Ta legal_ suspirei e a segui.

Nós andamos em silencio até o lado de fora, ela parou entre as árvores e se virou pra me olhar séria.

_Anda, se transforma pra podermos ir_ sua voz era cortante.
_É assim que vai ser agora? Via ficar me tratando mal?
_Não tenho tempo pra isso agora_ falou.
_Ótimo então, se é assim que você quer.

Me transformei sem dizer mais nada e começamos a correr, já estava escurecendo. Em questão de minutos chegamos ao posto de gasolina, voltei a minha forma humana e sem mais nenhuma palavra entramos. O cara tava atrás do balcão da pequena loja que tinha ali. 

_Em que posso ajudá-los?_ ele perguntou.
_Em muita coisa_ ela falou com sua voz sedutora, se inclinando no balcão.
_Me diga o que.
_Você é Trevor Bennet?
_Eu mesmo, sou seu servo_ ele falou sorrindo_ a propósito adorei as lentes.
_Obrigada.

Carinha abusado, minha vontade era tacar a cabeça dele contra parede. Ela se sentou no balcão, ele arregalou os olhos, olhado fixamente pras pernas descobertas dela.

_Érr... O que uma deusa como você quer de um cara como eu?
_Você_ ela segurou a gola da camisa dele_ conhece um cara chamado Marcus?
_Eu... Conheço muitos... Marcus_ ele gaguejou.
_Bom, esse é diferente_ ela se aproximou mais dele_ Você ta devendo uma grana pra ele.
Os olhos dele se arregalaram ainda mais.
_Não precisa fazer essa cara_ ela sorriu.
_Você é uma...
_Exato, e se você colaborar, ninguém vai se machucar.
_Eu ia pagar é que...
_Não tem que explicar, é só pagar_ disse zangado, minha voz saiu áspera e o cara se encolheu com medo.
_Eu, eu vou buscar_ ele garantiu.
_Ótimo_ ela disse.

Ele entrou em uma porta que tinha no fundo da loja, ela continuou sentada no balcão e se virou pra me olhar.

_Não precisava falar daquele jeito_ ela reclamou.
_Não precisava se insinuar daquele jeito_ rebati no mesmo tom.

Ela bufou e olhou pro lado zangada, cruzando os braços. Eu cheguei mais perto, me escorando no balcão entre suas pernas. Ela me olhou fixamente.

_Posso saber por que estamos brigando?_ perguntei.
_Desculpa meu mal humor_ ela descruzou os braços.
_Nós precisamos conversar sobre o que aconteceu_ escorei minha mão em sua perna.
_Eu sei. Pode ser depois? Estamos trabalhando agora.
_Nós vamos mesmo conversar ou você vai fugir como fez da ultima vez?
_Depois_ ela repetiu.

Ela levantou a perna e colocou o pé em meu peito, me empurrando delicadamente pra longe dela. Então o cara voltou com uma maleta na mão.

_Ta tudo aqui_ ele colocou o dinheiro em cima do balcão.
_Obrigada, você é um amor_ ela se inclinou em cima do balcão e deu um beijo na bochecha dele.
_Não tem de que_ ele falou com uma cara de idiota.

Ela pegou a maleta e nós andamos calmamente pra fora, voltando a nos esconder entre as árvores. Corremos de volta a casa, mais antes de entrar segurei seu braço.

_Que se ta fazendo?_ ela me olhou confusa.
_Antes de a gente entrar, preciso saber quando vamos poder conversar.
_Pode ser amanha no mesmo lugar de sempre?
_Amanha então_ concordei.

Ela se virou pra entrar, mais eu não deixei, continuei a segurar seu braço.

_O que foi agora?_ ela perguntou impaciente.
_Eu te amo_ falei.
_Também amo você_ sussurrou, com um sorriso triste no rosto.

Eu a puxei com força pelo braço, sem dar chance pra que ela escapasse. A segurei pela cintura e a beijei, ela resistiu um pouco, assustada e preocupada como sempre, mais então correspondeu, jogando sua mão envolta do meu pescoço, me beijando com mais vontade que de costume. Então cedo de mais se afastou, escorando sua testa na minha, nós dois respirando com dificuldade. 

_Nós temos que entrar_ sussurrou um tempo depois.
_Ta bem_ concordei e dei um ultimo selinho antes de soltá-la_ a propósito... Feliz aniversário.

Ela se afastou de mim, revirando os olhos zangada, respirou fundo pra se recompor e fez uma careta, provavelmente por sentir meu cheiro. Eu fiz o mesmo, então nós entramos, passando pela multidão de vampiros e indo até o escritório onde meu pai e o dela riam juntos de alguma coisa.

_Aqui_ ela colocou a maleta na mesa.
_Obrigada, vocês nunca decepcionam né?_ Marcus falou ainda rindo.
_Claro que não_ ela forçou um sorriso.

Depois de acertar tudo fomos embora, deixando eles na festa.

Narrado pela Demi

Eu voltei pra festa, tentando em vão me divertir, até que minha irmãzinha apareceu.

_Feliz aniversario maninha_ ela chegou perto e me abraçou.
_Obrigada.
_Eu já sei de tudo_ sussurrou quase inaudivelmente em meu ouvido, ainda abraçada a mim.
_Como é?
_Você e o lobisomem.
_Não sei do que esta falando_ disfarcei.
_Sabe sim, eu ouvi você conversando com a Selena e vi você aos beijos com ele lá fora agora pouco.
_O que você vai fazer?_ perguntei preocupada.
_Por enquanto nada_ ela riu_ mais é melhor você ficar ligada e tomar cuidado comigo.
_Você não presta_ acusei.
_Não sou eu que estou traindo a confiança do papai.

Ela se afastou pra me olhar, sorrindo vitoriosa ao ver minha expressão de horror. 

_Feliz aniversário maninha querida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário